Blog Luposeli

- Artigos

Traumatismo Dentário: o que fazer quando a criança cai e bate a boca?

Os primeiros passos da criança são sempre um motivo de comemoração para os pais e para todos aqueles que acompanham o seu desenvolvimento mais de perto. Afinal, quem é que não se entusiasma com essas pequenas conquistas no dia a dia do universo infantil, não é mesmo?

Acontece que, conforme alertam profissionais de diferentes áreas, esses progressos ao longo de cada etapa do crescimento devem ser associados a determinados cuidados por parte dos pais. No caso de aprender a andar, por exemplo, é comum que principalmente as crianças entre 1 e 3 aninhos de idade se desequilibrem e/ou saiam correndo algumas vezes pela casa, e é geralmente aí que ocorrem os acidentes que resultam no traumatismo dentário.

O traumatismo dentário é, como o próprio nome sugere, o trauma causado aos dentes, gengivas, lábios e/ou pele ao redor da cavidade bucal quando a criança cai e bate com a boca. Com o impacto, o dente pode acabar amolecendo, quebrar-se, alterar a posição do dente ou sair por inteiro. Então, o que fazer para estancar o sangue? E se o dente tiver se rompido ao meio? O dano é irreparável? A perda de um dente pode ser prejudicial à saúde?

Além do susto com a queda, o sangramento é algo que também deixa os adultos bastante preocupados, embora seja “normal”, já que a boca é uma região bastante vascularizada. Assim, a primeira coisa que os pais devem fazer é manter a calma, até mesmo para que consigam tranquilizar a criança. Em segundo lugar, é preciso pedir que ela morda (com pressão) uma gaze ou um pano limpo, a fim de que o sangramento seja controlado. Outra possibilidade para cessar o sangue e aliviar a dor é a compressa com água gelada ou até mesmo sorvete – opção aceita com muito mais facilidade pela criança!

Caso o dente de leite tenha caído, a sua recolocação não é recomendável. Isto porque, ao tentar reinseri-lo no lugar, a sua raiz pode ser encostada na coroa do dente permanente que está irrompendo, provocando danos. Caso se trate da queda do dente permanente, em crianças um pouco maiores, aconselha-se o seu reimplante imediato. Porém, qualquer que seja a situação, é necessário consultar o cirurgião-dentista o mais rápido possível!

Especificamente em relação ao dente que será reimplantado, alguns cuidados devem ser tomados. Os pais não devem tocá-lo na raiz, e sim pegá-lo pela coroa. Em seguida, será preciso limpá-lo cuidadosamente com soro fisiológico ou água filtrada (sem esfregá-lo!). E o mais indicado é recolocá-lo na gengiva da criança e pedir que ela continue mordendo a gaze ou o pano para que o dente não saia da posição, até chegar ao consultório odontológico. Caso não seja possível devolvê-lo à gengiva, ele poderá ser transportado num copo com soro fisiológico, água filtrada ou leite.

No caso de haver a quebra de uma parte do dente e dela ser encontrada, deve-se colocá-la na água filtrada e também procurar o dentista o quanto antes. Dependendo do tamanho do fragmento, é possível fazer a sua colagem no dente, recuperando-o esteticamente.*

De modo geral, durante algum tempo após esse episódio com a criança indica-se a ingestão de uma dieta mais pastosa e líquida, bem como evitar o uso de chupetas e mamadeiras para os pequenos que ainda mantiverem esse hábito. Isto porque o dente lesionado não deve passar por nenhum tipo de trauma.

A fim de prevenir infecções no local, deve-se realizar constantemente a higiene bucal, principalmente após as refeições. Para tanto, a criança também deverá ser orientada a não levar a mão à boca e a não ficar mexendo no ponto em que ocorreu o traumatismo. Para algumas, poderá ser necessário o uso de algum medicamento prescrito pelo especialista. No mais, o acompanhamento clínico* e radiográfico será indispensável pelo período mínimo de 1 ano e 6 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes, pois podem advir complicações decorrentes do trauma.

Com agilidade na procura pelo atendimento odontológico, é possível recuperar o dente perdido na maior parte das ocorrências. E é para contribuir com a perfeita saúde bucal das crianças que a Luposeli conta com experientes odontopediatras, que poderão avaliar as particularidades de cada caso pós-traumatismo dentário e esclarecer adequadamente os pais em relação ao tratamento que deve ser feito.

 

*Disponível em abodontopediatria.org.br/traumatismo_dentario.pdfAcesso em 29 jan. 2015.

Comente